O conhecimento a favor do meio ambiente. APS - Projetos e Consultoria

     
 

SISTEMA PRÉ-VIGA / PRÉ-LAJE

É um sistema estrutural desenvolvido pela Construtora Pedreira de Freitas (SP) na década de 90 que consiste em produzir as peças estruturais (vigas e lajes) pré-moldadas em uma central, que geralmente é na própria obra, e montá-las com o auxílio de gruas, para depois solidarizá-las com a concretagem posterior, obtendo assim um sistema monolítico.


PRÉ-VIGA

Sistema Vertical Pré-viga

Descrição
Produto com fabricação inicial em uma central de pré-moldados e concluída na obra, após a montagem das armaduras negativas. As extremidades das vigas, além da armadura de ligação, apresentam superfície rugosa, para otimização da ligação entre os concretos pré-fabricados e de consolidação

Detalhes
Em construções pré-fabricadas, as pré-vigas são apoiadas em consoles, que podem ser trapezoidais ou em dente Gerber. Já no caso integrado com o sistema de construção convencional, as pré-vigas se apóiam na forma do pilar, não existindo qualquer peça arquitetônica entre as estruturas montadas in loco ou com contribuição de pré-vigas.
Essas peças se caracterizam por serem pré-fabricadas em região abaixo da linha inferior da laje, sendo a sua qualidade visual superior a dos elementos montados in loco, o que dispensa a necessidade de revestimento.

Vantagens
Os sistemas estruturais em pré-viga minimizam a utilização de formas de madeira na obra, além de proporcionar inúmeras outras vantagens, como a diminuição das perdas de concreto, racionalização da armadura, melhor compatibilização dos projetos e sistema de vibração das peças, rapidez de montagem, redução do ciclo de cada pavimento, maior segurança no canteiro e diminuição do pessoal na obra.

 

PRÉ-LAJE

 

Descrição

As Pré-Lajes são placas de concreto com espessura de 
4,5cm e largura normalmente modulada em 2,50m, sendo os comprimentos determinados para cada caso, conforme as necessidades do projeto. O vão adequado entre seus apoios é de até 7 metros. O acabamento da face superior é rugoso para otimizar a ligação com o capeamento, enquanto o acabamento da face inferior é suficientemente liso para dispensar revestimentos, podendo ser pintado diretamente.

Detalhes

O Sistema Munte de Pré-Lajes Protendidas segue os critérios estabelecidos na Norma NBR 9062 para peças compostas monolíticas, que dispensam armaduras de costura entre a laje pré-fabricada e a parcela do concreto moldado no local.
As Pré-Lajes  se caracterizam pela pequena espessura (cerca de 4 cm), complementada por concretagem in loco de maior volume. O peso das peças é reduzido, o que diminui o equipamento de montagem e também o custo de transporte. Este produto apresenta chanfro obrigatório no apoio, o que garante grande eficiente ao cisalhamento. O chanfro invertido facilita o saque da peça e, do ponto de vista estrutural, solicita uma maior área de concreto no apoio da pré-laje, realizando uma ligação mecânica extremamente eficiente.


PRÉ-ESCADAS


As escadas pré-fabricadas são do tipo laje-escadas, que se caracterizam por terem um acabamento em sua face inferior sem juntas de peças ou arremates indesejáveis. Visualmente a solução é mais “limpa”, agradando os usuários.
A fabricação se dá com utilização de forma metálica, fato que garante ótimo acabamento.  As escadas são projetadas para suportarem um revestimento de 5 cm de espessura e, conforme especificação de projeto, pode ser fabricada com seu piso acabado, ou seja, é realizado o desempenamento no concreto.

ESTIMATIVA DE REDUÇÃO DE CUSTOS:

Pegaremos como exemplo uma laje de 500 m2 construída no sistema convencional e no sistema pré-viga:
SISTEMA CONVENCIONAL (mão de obra):
8 carpinteiros = R$ 40.000,00
Produção de 2 lajes por mês
Custo unitário = R$  40,00/m2

SISTEMA PRÉ-VIGA:
8 Carpinteiros = R$ 40.000,00
Produção de 3 lajes por mês
Custo unitário = R$ 26,66/m2
ECONOMIA = 35%

UTILIZAÇÃO DE GRUA


É impensável nos dias de hoje falar em modernização do canteiro de obras sem a utilização de grua. 
Um número muito grande de serviços pode ser realizado dentro de um canteiro de obras com o equipamento. Descarga de material, distribuição de material no canteiro, montagem da estrutura, onde ela encontra sua maior utilização,  enfim, no dia a dia da obra diversos serviços  são realizados.

É comum para quem nunca trabalhou com grua pensar que o equipamento substitui o elevador de obra. Ele alivia o uso deste, mas não substitui, uma vez que a grua só é usada, no máximo, até a fase da alvenaria.